American Society of Hematology

Programa de Treinamento da América Latina

Inglês | Espanhol

A finalidade do Programa de Treinamento da América Latina (LATP) é ajudar na construção de uma capacitação em hematologia na América Latina sobre áreas específicas prioritárias para a região. O LATP fornece financiamento para hematologistas ou profissionais da saúde relacionados à hematologia na América Latina para receberem até doze semanas de treinamento em uma das seguintes áreas:

  • Citometria de Fluxo e Biologia Molecular
    Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Brazil
  • Transplante de Células-Tronco
    Hospital Maciel em Montevidéu, Uruguai
  • Diagnóstico e Tratamento de Coagulopatias
    Instituto Estadual de Hematologia (HEMORIO) in Rio de Janeiro, Brazil
  • Trombose e Hemostasia
    Pontificia Universidad Catolica de Chile in Santiago, Chile
  • Transplante de Células Tronco em Pediatria
    Transplante de Células Tronco Hematopoiéticas
    Hospital Dr. Luis Calvo Mackenna in Santiago, Chile
  • Transplante de Células Tronco em Pediatria (México)
    Instituto Nacional de Pediatria in México DF, México

Informações específicas sobre cada programa de treinamento do LATP estão incluídas abaixo. Ao concluir o treinamento, os participantes retornam às suas instituições de origem para implantar as práticas e conhecimentos adquiridos, ajudando assim no avanço dos cuidados com os pacientes em hematologia em toda a região.

Benefícios do Programa

  • O prêmio do LATP fornecido pela ASH financiará os custos aprovados para as despesas de viagem e estadia durante todo o período de treinamento (os inscritos devem apresentar uma estimativa).
  • Ao implantar o treinamento em sua instituição de origem, os premiados terão a oportunidade de aumentar sua própria capacitação em hematologia e a de seus colegas, levando assim a uma melhoria no cuidado com os pacientes e/ou em pesquisa.
  • Através do programa de 12 semanas, o pessoal e as instituições na América Latina terão a oportunidade de criar relações e contatos contínuos.
back to top

Cronograma

Inscrições a partir de22 de dezembro de 2017
Prazo para inscrição4 de março de 2018
back to top

Requisitos de Elegibilidade

  • Médicos, cientistas e membros de equipe de laboratório de hematologia que trabalham em um hospital ou em um instituto de pesquisa em um dos países da América Latina indicados abaixo:
    • Argentina
    • Brazil
    • Bolivia
    • Chile
    • Colômbia
    • Costa Rica
    • República Dominicana
    • Ecuador
    • El Salvador
    • Guatemala
    • Honduras
    • Mexico
    • Nicaragua
    • Panama
    • Paraguay
    • Peru
    • Uruguay
    • Venezuela
  • Os inscritos podem estar em qualquer etapa de suas carreiras.
  • Os inscritos não precisam ser membros da ASH.
  • Não é necessária a proficiência em inglês visto que o treinamento poderá ser feito em espanhol ou português.
back to top

Descrições do Programa de Treinamento

*Falamos Espanhol! Indivíduos que não falam português podem se candidatar

Este programa de treinamento de 12 semanas inclui atividades práticas com citometria de fluxo e biologia molecular para o diagnóstico de doenças malignas hematológicas. Os estagiários participarão de reuniões semanais (todas as quintas-feiras) para discutir os achados dos exames morfológicos, imunofenotípicos, genéticos e histopatológicos de casos enviados ao Laboratório de Hematologia do Hospital Universitário da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto e serão treinados sobre os seguintes tópicos em citometria de fluxo e biologia molecular:

Citometria de fluxo:

  1. Segurança laboratorial e manuseio das amostras
  2. Isolamento de células mononucleares utilizando o gradiente de Ficoll Hypaque e lise do sangue total
  3. Painéis de anticorpos monoclonais utilizados frequentemente e controles relevantes na prática clínica
  4. Aquisição de dados
  5. Configuração da Intensidade do Sinal e Limiar dos citômetros
  6. Definição das regiões e gates
  7. Análise de doença linfoproliferativa
  8. Análise da leucemia mieloide aguda e síndrome mielodisplásica
  9. Análise da leucemia linfocítica aguda
  10. Análise do mieloma múltiplo
  11. Análise da hemoglobinuria noturna paroxismal
  12. Discussão de casos da análise de doença residual mínimo em leucemias agudas

Técnicas de biologia molecular:

  1. Extração e quantificação de DNA e RNA
  2. Controle de qualidade de amostras de oligonucleotídeos
  3. Preparação do gel de agarose
  4. Síntesis de ADNc
  5. Técnica de RT-PCR para PML/RARa, CBFbeta/MYH11, RUNX1/RUNX1T1 e detecção FLT3-ITD
  6. Técnica RQ-PCR para PML/RARa
  7. Técnica de RQ-PCR para mutações JAK2 V617F
  8. RQ-PCR para quantificação de ciclina D1

Exigências para os Candidatos deste programa:

  • O candidato deve representar uma instituição que tenha e opera um citômetro de fluxo.
  • O candidato deve apresentar uma carta de apoio da sua instituição de base assinada pelo supervisor do candidato declarando o apoio da instituição para que o candidato se ausente e faça o treinamento e confirmando que o equipamento necessário está disponível.
  • O candidato deve atender todas as outras exigências de elegibilidade definidas na parte superior do formulário para inscrição do LATP.

Durante esse programa de treinamento de doze semanas, o trainee desenvolverá todas as suas atividades clínicas sob supervisão dos membros da equipe de TCT em atividades diárias das 08:00 às 17:00 horas. Essas atividades, bem como outros objetivos, serão as seguintes:

  • Reuniões da equipe clínica para atualizações diárias de informações sobre os pacientes hospitalizados (de segunda a sexta-feira, das 8:00 às 9:00 horas)
  • Visitas clínicas na Unidade de Tratamento Hematológico (8 semanas, de segunda-feira a sábado, das 9:00 às 12:00 horas)
  • Acompanhamento clínico dos pacientes ambulatoriais que tiveram alta no Ambulatório diário (4 semanas, de segunda a sexta-feira, das 9:00 às 13:00 horas)
  • Duas Clínicas de TCT/semana (terças-feiras às 14:00 horas e quintas-feiras às 22:00 horas) para uma avaliação pré-TCT e acompanhamento de longo prazo de pacientes transplantados
  • Participação em cada etapa do procedimento de TCT:

    • Mobilização da célula-tronco
    • Contagens das células-tronco no Laboratório de Citometria de Fluxo
    • Coleta de células-tronco por leucaférese na Unidade de Banco de Sangue
    • Processamento das células na Unidade de Criopreservação
    • Infusão de células-tronco
  • Participação ativa em reuniões científicas regulares (quintas-feiras às 9:00 horas)
  • Participação na reunião semanal da equipe do TCT para discussão, planejamento e coordenação dos procedimentos de TCT (todas as terças-feiras às 11:00 horas)
  • Interação com outros Departamentos envolvidos no Programa de TCT:
    • Registro de Doadores de Células-Tronco e Laboratório de HLA
    • Cirurgia Vascular
    • Unidade de Banco de Sangue e Laboratório de Citaférese
    • Unidade de Suporte Nutricional
    • Unidade de Doenças Infecciosas
    • Unidade de Medicina Psicossocial
  • Treinamento em gerenciamento de qualidade e aplicação de procedimentos de modelo de qualidade
  • Interação com a equipe médica de plantão na Unidade de Tratamento Hematológico duas vezes por semana
  • Interação com a "Fundación PORSALEU". Desde 2001, essa fundação voluntária cuida da hospedagem e apoio social dos pacientes ambulatoriais e das famílias que vêm de fora da cidade durante a hospitalização (www.porsaleu.org)
  • Interação com o Diretor do Departamento e equipe do TCT em termos de aplicabilidade do projeto na instituição de origem, criação de um programa de transplante, crescente capacitação progressiva e superação de dificuldades
  • Interação com o Diretor do Hospital que apoia e promove essa ação

Requisitos para os Candidatos desse programa:

-O candidato deve representar uma instituição que atualmente opere uma unidade ou departamento de Transplante de Células-Tronco (TCT) ou que esteja em processo de desenvolvimento de uma unidade e que tenha a capacidade de implantar os procedimentos necessários.
-O candidato deve apresentar uma carta de apoio de sua instituição de origem assinada pelo supervisor do candidato e pelo respectivo chefe de departamento (hematologia, departamento de TCT), se aplicável, que confirme o apoio à sua ausência para treinamento e que o equipamento necessário está disponível para implantar o treinamento.
-O candidato deve atender a todos os demais requisitos de elegibilidade indicados na parte superior da inscrição do LATP.

Esse programa de doze semanas se concentrará em práticas de laboratório e interpretação de testes envolvidos no diagnóstico de distúrbios de trombose e hemostasia. As áreas de treinamento incluem testes de coagulação básicos e avançados, diagnóstico de laboratório de fenótipos da Doença de von Willebrand (DvW), teste de função das plaquetas e diagnóstico de trombofilia.

Programação do Treinamento:

 
  • Função global do laboratório, atualização teórica sobre processo de hemostasia, incluindo função das plaquetas, coagulação e sistemas fibrinolíticos e anticoagulantes naturais. (Semana 1)
  •  
  • Testes básicos de coagulação, preparação de controle de pool de plasma, quantização de fatores de coagulação, triagem e identificação de anticorpos. Controle laboratorial de heparina e novos medicamentos anticoagulantes. Controles pré-analíticos e analíticos. Relatório de resultados. Processos de controle de qualidade internos e externos. (Semanas 2-4)
  •  
  • Treinamento em teste e diagnóstico de DvW: FvW:Ag, FvW:RCo, FvW:CB, RIPA, FVIII associado ao FvW, Análise multimérica do FvW, ensaio de ADAMTS 13. Critério de diagnóstico de laboratório. (Semanas 5-6)
  •  
  • Treinamento em teste de função de plaquetas: agregação de plaquetas e secreção de serotonina, incluindo critérios de diagnóstico; atividade procoagulante de plaquetas, detecção de anticorpos antiplaquetas, diagnóstico de deficiências de glicoproteína e teste de compatibilidade de plaquetas por citometria de fluxo. (Semanas 7-9)
  •  
  • Diagnóstico de trombofilia adquirida ou hereditária: mensurações de antitrombina e proteína C por ensaio funcional (teste coagulométrico) ou antigênico (teste ELISA); antígeno de proteína S (ELISA), resistência de proteína C ativada (teste coagulométrico), diagnóstico do Fator V Leiden e mutação C20210A da protrombina (PCR, testes de triagem e confirmação de anticoagulante lúpico). Diagnóstico HIS: teste de liberação de serotonina e anticorpos anti-heparina PF4 (por HPLC). (Semanas 10-12)
  • Os trainees também frequentarão reuniões semanais de bibliografia e pesquisa, bem como reuniões para revisar, analisar e interpretar todos os testes realizados às quartas e sextas-feiras de cada semana. Será solicitado que o trainee apresente um seminário final ao término de sua estadia.

    Se o trainee for um médico, ele(a) terá a chance de participar de prática ambulatorial e hospitalar especializada e ambulatórios de anticoagulação durante sua estadia de 6 semanas. Durante toda a sua estadia, os supervisores de treinamento explorarão reais possibilidades de colaboração e melhorias contínuas com o trainee e sua instituição de origem.


    Requisitos para os Candidatos desse programa:

    -Os inscritos devem possuir título de médico (MD), PhD, bioquímico ou técnico de laboratório.
    -Os inscritos devem dirigir ou trabalhar em um Laboratório de Diagnóstico e Pesquisa de Hemostasia e Trombose ou na área de Trombose e Hemostasia de um Laboratório Clínico de seu hospital. O laboratório do trainee deve estar equipado com coagulômetros automáticos e recursos ELISA. Se isso não estiver disponível, eles devem se comprometer a desenvolver em seu centro o estudo de agregometria de plaquetas e o diagnóstico molecular do Fator V Leiden e mutação de protrombina G20210A. O trainee pode obter benefícios adicionais se tiver acesso à citometria de fluxo e diagnóstico molecular em sua Instituição de origem.

    *Falamos Espanhol! Indivíduos que não falam português podem se candidatar

    Este programa de doze semanas cobra o diagnóstico e tratamento de uma ampla variedade de coagulopatias incluindo: hemofilia, doença de von Willebrand, deficiência de fator e distúrbios plaquetários raros e trombopatias hereditárias. O objetivo primário é: conhecer as principais complicações clínicas destes distúrbios; organizar um sistema para tratamento imediato de episódios de hemorragia; e diagnóstico laboratorial de hemofilia, doença de von Willebrand e outras coagulopatias.

    Escala do Programa de Treinamento:

    • Acompanhamento do paciente ambulatorial com coagulopatia congênita (Semana 1)
    • Cuidado imediato e infusão do fator de coagulação na emergência com complicações hemorrágicas ou outras complicações relacionadas à doença (Semana 2-3)
    • Primeira triagem e avaliação de casos suspeitos para confirmação do diagnóstico (Semana 4)
    • Participação no treinamento e orientação do paciente, incluindo a auto-infusão (Semana 5)
    • Participação em visitas multidisciplinares para coagulopatias congênitas (Semana 1-12)
    • Treinamento sobre a organização de tratamento odontológico e físico enfocando as coagulopatias (Semana 6)
    • Treinamento sobre o armazenamento e distribuição de concentrados de fatores de coagulação, incluindo a rastreabilidade (Semana 8-9)
    • Treinamento no laboratório de referência em coagulação (Semana 10-12)

    Este programa de 12 semanas é voltado para hemato-oncologistas pediátricos que cuidam de pacientes transplantados ou que estão desenvolvendo novos programas de transplante. As atividades diárias sob supervisão da Equipe do HSCT serão realizadas de 8 a 17 horas. Os estagiários serão expostos a três grandes áreas de transplante: pré-transplante, procedimento de transplante e acompanhamento pós-transplante. Os estagiários também terão a oportunidade de discutir questões administrativas com a equipe.

    Visitas da Unidade de TMO:

    • Segundas-feiras 8h15 e Sextas-feiras 12h30: Visita geral, incluindo a equipe médica, as enfermeiras do turno, chefes de enfermagem, enfermeiras educadoras, farmacêutico clínico, assistente social, psicólogo.
    • Terças a Sextas-feiras 8h15: Equipe médica de internação, estagiários, fellows.
    • Segundas a Quintas-feiras às 12h30: Visita geral, incluindo a equipe médica, enfermeiros do turno, chefes de enfermagem, farmacêutico clínico.
    • Segundas a Sextas-feiras às 16h00: Equipe médica de internação, estagiários, fellows e residentes de pediatria.

    Reuniões com os pacientes:

    • Segundas-feiras à tarde/noite: Visita pré-transplante.
    • Quartas-feiras à tarde/noite: Visita pós-transplante
    • Quintas-feiras à tarde/noite: HLA e revisão de novos pacientes

    Reuniões gerais:

    • Quartas-feiras de manhã: Visita geral do Departamento de Pediatria
    • Sextas-feiras de manhã: Reunião de Oncologia-Hematologia-TMO

    Agenda Semanal

    a. Semana 1-4: Clínica pré-transplante e questões administrativas:

    Clínica pré-transplante

    • Revisão das indicações para TCTH
    • Lista de candidatos geral
    • Revisão do resumo dos pacientes
    • Revisão de HLA, escolha do doador, fontes de célula tronco
    • Avaliação clínica de acordo com protocolos específicos para a doença e TCTH
    • Avaliação laboratorial de acordo com protocolos específicos para a doença e TCTH
    • Planejamento da avaliação pré-transplante: Back-up de MO, radioterapia, regime de condicionamento, CVC, internação final

    Questões administrativas:

    • Estrutura geral da Unidade de TMO
    • Exigências físicas
    • Recursos orçamentários
    • Recursos humanos
    • Rede hospitalar: laboratórios, serviços e departamentos de assistência (Radiologia, Farmácia, Hematologia, Banco de sangue, etc)
    • Planejamento e desenvolvimento
    • Agenda de Avaliação
    • Acreditação

    b. Semana 5-8: Clínica de Internação

    • Revisão das indicações para TCTH
    • Revisão do resumo dos pacientes
    • Avaliação clínica de acordo com protocolos específicos para a doença e TCTH
    • Avaliação laboratorial de acordo com protocolos específicos para a doença e de TCTH
    • Planejamento do transplante: Back-up de MO, radioterapia, regime de condicionamento (mioablativo e RIC), imunossupressão, CVC.
    • Complicações: Complicações infecciosas, mucosite, dor, GvHD (diagnóstico, classificação, estadiamento e tratamento), outros (DVO, TMA, cistite hemorrágica, etc).
    • Infusões e tratamentos: IVIG, antibióticos, antivirais, transfusões, hidratação
    • Acompanhamento e procedimentos terapêuticos: punção lombar, aspirado de medula óssea e colheita e procura, infusões de linfócito doador e TCTH.
    • Procedimentos laboratoriais: aférese de células tronco, técnicas de processamento (manejo das incompatibilidades ABO, descongelamento de sangue do cordão, congelamento e descongelamento de progenitoras do sangue periférico e depleção ex-vivo de CT)

    c. Semana 9-12: Ambulatório Pós-Transplante:

    Acompanhamento precoce pós-transplante: 3 semanas

    • Avaliação clínica de acordo com protocolos específicos para a doença e TCTH
    • Avaliação laboratorial de acordo com protocolos específicos para a doença e TCTH
    • Complicações infecciosas
    • Complicações imunológicas/triagem de GvHD, classificação e tratamento
    • Reinternações agudas
    • Infusões e tratamentos diários: IVIG, antibióticos, antivirais, transfusões, hidratação
    • Acompanhamento e procedimentos terapêuticos: punção lombar, aspirado de medula óssea, infusões do linfócito doador.

    Acompanhamento pós-transplante de longo prazo: 1 semana

    • Avaliação clínica de acordo com protocolos específicos para a doença e TCTH
    • Avaliação laboratorial de acordo com protocolos específicos para a doença e TCTH
    • Complicações infecciosas
    • Complicações imunológicas/triagem de GvHD, classificação e tratamento
    • Complicações de longo prazo: endocrinológicas, metabólicas, cardiovasculares, respiratórias, oftalmológicas
    • Reconstituição imunológica e programação da vacinação
    • Avaliação social e psicológica da família
    • Transferência para uma rede de saúde local

    Exigências para os Candidatos deste programa:

    • O candidato deve atender todas as exigências de elegibilidade definidas na parte superior do formulário para inscrição do LATP.
    • O Candidato deve vir de uma instituição que tenha uma unidade de TCT no momento ou que esteja no processo de criar uma.
    • Documentação exigida:
      • Carta de apoio do Diretor da sua instituição de origem. A carta deve especificar a aceitação da sua ausência durante o treinamento.
      • Curriculum vitae
      • Certificado de vacina para Hepatite B
      • Certificado de seguro de saúde internacional
      • Certificado profissional válido
    • Os candidatos aprovados serão colocados em contato com o departamento acadêmico do hospital (UCAD) para maiores informações e regulamentos seguindo acordos internacionais firmados entre o Chile e o seu país.

    Este programa de 12 semanas tem como objetivo o treinamento de todas as fases de cuidado dos pacientes pediátricos que farão transplante de célula tronco hematopoiética (TCTH). Os estagiários aprenderão os aspectos clínicos e laboratoriais de TCT necessários para o tratamento de crianças. Este programa foi desenhado para hemato-oncologistas pediátricos ou imunologistas pediátricos. As atividades são programadas para 7 da manhã a 7 da noite de Segunda a Sexta-feira e Sábado de 8h00 a 14h00. Este programa incluirá os seguintes componentes:

    Educação didática:

    • Visitas Clínicas Diárias na Unidade de Medula Óssea com pacientes hospitalizados (7h00-9h00).

    • Participação nos serviços do ambulatório de Segundas a Quintas (acompanhadas por um supervisor de treinamento) de 10h00-12h00.

    • Conferências de Revisão do Paciente (todos os dias às 14h00)

    • Conferência Semanal com os Fellows (Sextas às 8h00), Conferência do Cure4Kids com o Grupo Mexicano de TCT (Sextas-feiras a cada quinze dias às 9h00).

    • Conferência Semanal do Conselho de Tumores (Sextas-feiras às 12h00).

    • Clube Semanal da Revista (Quartas-feiras às 12h30) e Reunião de Pesquisa mensal (quarta Terça-feira do mês às 3h30).

    • Visita ao Banco de Sangue e Laboratório de Terapia Celular

    • Sessão semanal de revisão de controle de qualidade (Sextas-feiras às 10h00)

    Programa de Treinamento

    Parte I (Semanas 1-4)

    Semana 1:

    • Aprender as características biológicas das células tronco hematopoiéticas (medula, sangue do cordão umbilical ou derivado de sangue) e sua mobilização/coleta.
    • Aprender como os antígenos de HLA humanos orientam a escolha dos doadores para transplante de células tronco alogeneicas

    Semana 2:

    • Aprender a administrar as infusões de célula tronco (medula óssea, sangue do cordão, sangue periférico; descongelamento do sangue do cordão ou do sangue periférico)
    • Entender a fisiopatologia e manejo da rejeição do enxerto
    • Aprender como o quimerismo é utilizado no manejo de TCTH alogênico (especialmente em pacientes com condicionamento de intensidade reduzida)

    Semana 3:

    • Aprender a avaliar a recuperação imunológica do TCTH
    • Diagnóstico e tratamento de infecções precoces e sua relação com a reconstituição imune

    Semana 4:

    • Cuidado do paciente desde o encaminhamento até a consulta inicial e decisão sobre o tipo de transplante e condicionamento/fonte de célula tronco
    • Coordenação com o médico que encaminhou o paciente e coordenação das visitas pré-TCTH.
    • Avaliação dos pacientes encaminhados para TCTH e discussão do procedimento com o paciente/família

    Parte II (Semanas 5-10)

    Semana 5:

    • Aprender as indicações para TCTH autólogo vs alogênico
    • Aprender a cuidar dos pacientes que recebem quimioterapia com doses elevadas e as complicações relacionadas à mucosite, febre neutropênica e a necessidade de produto hematológico de apoio.

    Semana 6:

    • Diagnóstico e tratamento de infecções agudas e sua relação com a reconstituição imune do paciente.

    Semana 7:

    • Aprender as características e fisiopatologia da doença enxerto vs hospedeiro aguda (GvHD)
    • Cuidar dos pacientes que têm GvHD aguda: avaliação, biópsias adequadas e plano terapêutico.

    Semana 8:

    • Aprender as características e fisiopatologia da GvHD crônica
    • Cuidar dos pacientes que têm GvHD crônica: avaliação, biópsias adequadas e plano terapêutico.

    Semana 9:

    • Aprender as indicações para TCTH alogênico de intensidade reduzida
    • Aprender os tipos de Transplante Haploidêntico com Ciclofosfamida e imuno-seleção.

    Semana 10:

    • Acompanhamento de longo prazo dos pacientes
    • Implementação de um programa de qualidade de acordo com os padrões FACT.
    • Participar de colheitas de medula óssea e observar o preparo do produto da célula tronco no Laboratório de Células Tronco.

    Parte III: Rodízios de Pesquisa (Semanas 11 e 12)

    Semana 11:

    • Desenvolver uma hipótese para um projeto de pesquisa, revisar publicações relacionadas ao assunto e desenvolver um plano de pesquisa.
    • Revisar as fontes de dados adequadas, coletar e organizar os dados, iniciar a avaliação e verificar se o plano está adequado/viável

    Semana 12:

    • Concluir a coleta de dados, ampliar a análise de dados e apresentar achados preliminares da equipe de TCTH.
    • Formalizar os dados da apresentação, conclusões e preparar um manuscrito relacionado ao projeto.

    Exigências para os Candidatos deste programa:

    • O candidato deve cumprir todas as exigências definidas na inscrição do LATP.
    • O candidato deve ser um hemato-oncologista pediátrico ou imunologista com interesse em desenvolver ou ampliar os serviços de TCTH em sua instituição.
    • O Candidato deve vir de uma instituição que tenha uma unidade de TCT no momento ou que esteja no processo de criar uma.
    • Curriculum Vitae com cópia de certificado profissional
    • Certificado de seguro de saúde internacional
    • Cumprimento das exigências de imigração para entrada no México
    back to top

    Avaliação do Programa pelo Participante

    Um aspecto integral do LATP é mensurar em que grau os participantes são capazes de implantar em suas instituições de origem o treinamento que receberam após a conclusão de sua experiência do LATP. Para isso, o ASH desenvolveu formulários de avaliação de participantes que devem ser preenchidos pelos premiados do LATP 30 dias e 6 meses após terem concluído seu treinamento. A finalidade dos formulários de avaliação é:

    • Dar ao participante uma oportunidade de oferecer feedback sobre suas experiências pessoais com o programa
    • Mensurar o escopo de implantação do treinamento recebido na instituição de origem do participante
    • Permitir que o participante expresse quaisquer questões que surgiram desde o seu retorno à sua instituição de origem com relação à implantação de práticas e procedimentos aprendidos
    • Avaliar o impacto do programa sobre a carreira profissional do participante

    É importante que você informe ao Gerente de Programas Internacionais quando você concluiu seu treinamento na instituição anfitriã. Você receberá um e-mail com um link para os formulários de avaliação nos intervalos adequados após seu treinamento.

    back to top

    Dúvidas

    Se você tiver quaisquer dúvidas ou desejar quaisquer informações adicionais referentes ao Programa de Treinamento da América Latina do ASH, entre em contato com International Programs Coordinator Erin Sheek em esheek@hematology.org. back to top